Negativismo

O negativismo
Ja parou p’ra pensar acerca das oportunidades e batalhas nas quais tu perderas pois na hora de lansar-te ao campo de batalha pensaste so e somente na derrota, insucesso ate mesmo no fracasso? contudo, achou-se incapaz, desfavorecido ate sem merito pra tal ou desprovido da humanidade? A essa forma de pensar choma-se negativismo.
Falo da experiencia propria, minha, coisas que vivi e vi ate que um dia parei pra reflectir sobre os resultados que obtia em tudo que eu fizesse: “sera que nao mereço nada de bom?” ate cheguei a imaginar que fosse feio de mais que ate o sucesso fogia de mim dai que, a cada fracasso eu sempre questionava-me “ e agora qual sera o problema?” pois planejava, agia mas, nao conseguia sucesso. De severas reflexoes que eu fizera em torno desta questao acabei por descobrir que nao havia problem nenhum a nao ser que esse problema fosse eu mesmo, a verdade e de que “na vida o problema, e a propria vida, cheia de problemas, problemas esses gerados pelo pensar negativo”.
Contudo, com a ajuda das pessos mais experientes como: obreiros assim como pastores e alguns jovens da minha igreja que mostravam-se interessados comigo consegui superar esse obstaculo ,o negativismo, e antes eu pensara que fosse o unico nessa situaçao mas, verificava essa atitude ou forma de pensar na minha familia, Ate a minha mae tudo o que ela fizesse ou planejasse fazer ela apenas conseguia enxergar problemas ou insucesso e foi por isso que eu tambem issim fora. Com viagens que com tempo ia fazendo acabei conhecendo pessaoas diferententes uma da outra e diferentes ate comigo pelo nosso modo de enxergar e entender as coisas porque eu ja havia sido instruido para ultrapassar esse problema, em fim, ja havia conseguido passar ao positivismo. Numa das viagens que fiz em rumo a namaacha conheci um jovem um ano mais novo que eu. Falamos de pouco de tudo e ao longo da conversa acabamos por falar sobre formassao academica e ele falou-me que nao mais estudava porque perdera seu pai e com a morte do seu progenitor a sua condiçao nao mais permitia que ele continuasse a estudar. Ok, ele ja esta crescido, trabalha e recebe miseria mas melhor que alguns e sendo assim, ele e capaz de concluir pelo menos o ensino geral que e a base em moçambique mas quando O perguntei porque nao continua a estudar ele respondeu “ porque nao tenho dinheiro pra pagar as propinas sabes bem tu que tudo requer dinheiro neste mundo”. Ele e solteiro, trabalha, conseguiria pagar pela sua educçao mas acontesse que ainda na conversa ele mesmo prometeu fazer uma festa pra kilar (arrazar). Perguntei-me no meu eu “sera que nessa festa que ele planeja fazer nao nessecitara de fundos pra que seje realizada?” claro que precisara. Nova pergunta nesceu em mim “sera que o sacrificio que ele faria pra que essa festa se realizasse nao faria pra que conseguisse pagar propinas na escola?”, em fim, acabei concluindo que ele esta embrulhado na manta do “negativismo”, o problema era ele, a dificuldade era ele em fim, ele e que era dificil pra consiga mesmo que o melhor pra si pensava que fossse impossivel e o negativo bem facil apesar da economia que fosse gastar e que superace a da educaçao. O jovem abraçara o mal e acareciava o pensar negativo.

Sedoso Franzino ou Xavier Sergio Tembe

Advertisements

Os Sons ou Fonemas (continuacao)

Boa tarde caros leitores, vamos dar continuidade ao nosso post sobre sons ou fonemas e hoje vamos falar de ditongo, olha a dica não será longa como as primeira tratando-se de uma continuidade. continue a ler não se esqueça de deixar comentário(s)

Os ditongos são uma emissão de voz rápida e continua de uma vogal forte e de fraca; a vogal fraca tem uma função consonântica ou de semivogal (veja no post anterior). ai (baile), ei (dei) oi (doi, boi), etc.

nas mesmas circunstancias assinaladas para as vogais os ditongos podem ser orais ou nasais.

a) Os ditongos orais são :

ai, au, ex.: pai, pau, ae só em Caetano; aoao(s) ei, ex.: eirado

funcionam umas vezes como vogais, ex.: livro, cubo; outras vezes como consoantes, ex.: faia, maio, quase e, por isso, são também chamadas semivogais ou semiconsoantes.

eu, éu, ex.: deu, ilhéu

iu, ui, ex.: mediu, uivar

oi, ói,ex.: goivo, lençóis

ou, ex.: passou, souto.

comente…

fonetica – Os sons ou fonemas (vogais e silabas)

No post anterior falamos ainda na fonética  de palavras e silabas confira o post anterior, use o campo de pesquisa. Agora vamos ao que foi preparado para o dia de hoje, estam preparados?

Os sons ou Fonemas (Vogais e consoantes)

1. Os sons que constituem a palavra chamam-se sons articuladores ou fonemas. confira no post anterior.

2. Para a produção dos fonemas, tem o homem órgãos apropriados, que constituem o aparelho fonador . Estes compõem-se:

a) dos pulmões – órgãos emissores da corrente de ar.

b) dos brônquios e traqueias – órgãos da passagem do ar expirado, ate   chegar para laringe laringe.

c) da laringe – órgão produtor dos sons, composto de vários anéis cartilaginoso reunidos por músculos; comunica com a faringe por uma estreita abertura – a glote – limitada por duas membranas chamadas cordas vocais.

d) do tubo vocal – que consta de faringe, fossas nasais ou boca – órgãos articuladores ou modificadores dos sons.

Na boca, os órgãos que intervêm na modificação dos sons são a lingua, os labios, os dentes e a abobada palatina ou véu palatino.

3. Se o som formado na laringe sai livremente só pela boca, ou pela boca e pelas fossas nasais, sem haver obstáculo, produzem-se as vozes livres ou vogais; se, porem, o som se escapa, depois de modificado pelos órgãos que se interpõem no seu caminho, produzem-se as vozes constritas ou consoantes.

As consoantes só por si não tem sonoridade própria; precisam, para serem pronunciadas, de se apoiar numa vogal ou soante. Dai a origem do seu nome: com + soante ( = soa com vogal).

B. VOGAIS E DITONGOS

Vogais

4. AS vogais podem ser orais ou nasais, conforme a corrente de ar se escoa toda pela boca ou parte pela boca e pelas fossas nasais.

São orais as vogais das palavras: papa, bebe, vivi, no, só, tu.

São nasais as vogais das palavras: lento, mim, som, rum, son, antes.

OBS. – A nasalação das vogais indica-se por til(~), m, ou n.

5. As vogais podem ser abertas, fechadas e mudas ou surdas. as vogais a negrito das palavras pá, fé, avo, pó, são abertas.

As vogais a negrito das palavras, madeira, mês, são, fechadas.

As vogais a negrito das palavras casa, cidade, lando, perigo,militar, futuro, sao mudas ou surdas.

Nota bem: Observa que, ao pronunciar a vogal aberta da palavra av(feminino). a abertura bucal e maior do que ao pronunciar a vogal fechada em avo (masculino). Observe também que, ao pronunciaras vogais surdas, a tensão muscular e quase nula e a vogal quase se não pronuncia (cidad’); estas vogais encontram-se, em geral, em silabas atonas.

6. As vogais ainda se dividem em fortes ou áspera, e fracas, doces ou brandas, visto que, quando se agrupam, as primeiras predominam como valor fónico. São ásperas as vogais a, e, o. São brandas as vogais i, u.

E aii o que acharam: explicito ou implícito? respondam no comentário fui.

FONETICA – PALAVRAS E SILABAS

A PALAVRAS E SILABAS

1. Palavra, como eu disse no post anterior, e um som ou fonema ou um grupo de sons com determinado sentido. Rua, trabalho, amor, livraria sao palavras portguesas.

2. Se as articularmos

ru-a, tra-ba-lho, etc.,

notaremos que cada uma delas se compoe de varios elementos que tem de comum o serem pronunciados numa so emissao de voz.

3. Ao som pronunciado numa so emissao de voz e formado por vogal, ou por vogal ou ditongo em combinacao com uma ou mais consoantes, da-se o nome de silaba.

Ex.: o-lho, ru-a, a-mor, tra-ba-lho, li-vra-ri-a.

Ve-se, por estes exemplos, que ha palavras de uma, duas, tres e mais silabas. As palavras que tem uma so silaba chamam-se monossilabas: rei, pai, mae, lei …

As palavras que tem duas silabas chamam-se dissilabos: i-lha, dou-tor, etc.; e para as que tem mais de duas silabas, da-se o nome de polissilabos: es-tu-do, pon-ti-fi-ce, ar-qui-pe-la-go, uni-ver-si-da-de…

B. ACENTO. PALAVRAS ENCLITICAS

Acento tonico

4. Nas palavras dissilabos e polissilabos ha uma silaba que se pronuncia com mais forca ou intencidade de voz: medico, lindo, cafe.

EESta maioria intnsidade com que e proferida uma silaba chama-se acento tonico e a silaba em que recai denomina-se silaba tonica. Se a palavra tem uma so silaba, como mar, po, etc., esta e tonica, salvo nos casos indicados abaixo em 7.

5.  Chamam-se palavras agudas as que tem o acento tonico na ultima silaba: mare, funil, cafe, amarler. Sao palavras graves tem o acento acento tonico na penultima silaba: mapa, facil, outro, marco, pobre.

Chamam-se palavras esdruxula as que tem o acento tonico na antepenultima silaba: fabrica, medico, persia…

6. As silabas que nao tem acento tonico, chamam-se atonas. Em casa, ca- e a silaba tonica e sa a atona.

AS encliticas

7. ha, mesmo, palavras que nao tem acento tonico; na pronuncia estao subordinadas ao acento da palavra a que se ligam: a mesa, que lindo, diz-me, davamo-lo. Para as palavras nestas condicoes da-se o nome de encliticas.

Chamam-se procliticas se, na pronuncia, se subordinam ao acento toniconda palavra seguinte: esse homem, o amor ao trabalho, a mesa, que lindo.

Chamam-se apocliticas se, na pronuncia, se subordinam ao acento tonico de uma palavra precedente: namoram-no, davamo-lo, diz-me.

e tudo ate mais logo no proximo post.

Introducao

A lingua e os seus elementos. Fixacao do objecto de cada uma das tres divisoes da gramatica: fonetica, morfologia e sintax

“Eram dadas cincos da tarde, a calma declinava; montamos o cavalo por entre os vicosos pampanos que sao a gloria e belaza da cartaxo;  as mulinhas tinham refrescado e tomado animo; brevenos achamos em plena charneca.

Bela e vasta planicie! Desafogada dos raios do sol, como ela se desenha ai no horizonte tao suavemente! Que  delicioso aroma selvagem que exalam estas plantas, acres e tenazes de vida, que a cobrem e que resistem, verdes e vicosas a um sol portugues de julho!”

ALMEIDA GARRETTViagens na Minha Terra

1. Neste pequeno texto, o autor transmite-nos ou exprime as suas ideias, os seus sentimentos e as suas sensacoes. Usou para isso frases constituidas por palavras. isto e, sons ou grupos de sons com um determinado sentido.

2. O texto e escrito. Mas tambem nos exprime pela fala. A lingua pode ser, potanto, falada ou escrita. E por meio da fala que todos os dias comunicamos otalmente com os nossos semelhantes, que conversamos com eles.

3. Os sons, a palavra, a frase sao os elementos constivos duma lingua. O estudo destes elementos e um dos objectos da gramatica. Divide-se esta em tres prartes:

Fonetica: estuda os sons, sua producao, suas combinacoes, suas repeticoes na escrita (ortografia) e suas modificacoes.

Morfologia: estuda as palavras, suas classificacoes, estrutura, flexao e formacao.

Sintaxe: estuda as regras da construcao da frase.

4. Cada povo tem, em geral, a sua fala propria, com caracteristicas especificas. O povo Portugues – e tambem brasileiro – exprime o que pensa, o que deseja em lingua portuguesa ou no idioma portugues.

5. A Gramatica Portuguesa estuda os elementos constitutivos da lingua portuguesa, acima referidos, e da as normas baseadas no uso que dela fizerem ou fazem os bons escritores, para escrevermos e falarmos com correcao, clareza e pureza.

6. Se, porem relermos o texto, verificamos que alem da sua clareza e correcao, a nosa sensibilidade se apercebe de uma outra qualidade: a beleza. E um texto literario.

No ambito de uma gramatica moderna cabe, asssim, tambem o estudo dos principios gerais da arte de escrever, dos processos de estilo, que embelez a frase, e da contextura das obras literarias.

No proximo: fonetica